Daniela Dytz - Fotografia de famílias

"Nunca é tarde demais para
ser aquilo que você
deveria ter sido"

George Elliot


Este é meu blog pessoal, onde publico meu trabalho,
conto um pouquinho sobre cada sessão fotográfica e outras coisinhas a mais ;)

Para me conhecer, acesse a guia "Quem sou eu".
Para me encontrar, clique em "Contatos".
Ou dê uma passadinha lá no site oficial, acessando a guia "Site".



segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Desabafo de uma mulher de concurseiro

Então pessoal, fugindo do assunto 'maternidade' que tá rolando na série "Melhores momentos da gravidez", resolvi escrever um pouco sobre como é ser mulher de concurseiro. Ou melhor, mulher de ex-concurseiro hehe.

Eu e Pita, meu marido, começamos a namorar quando éramos colegas de trabalho em Porto Alegre (sim sim, eu sei, já ouvi muito que onde se ganha o pão não se come a carne maaaaas... hehe). Sempre soube que o sonho dele era sair do Judiciário e passar em um bom concurso público, fazendo jus à inteligência que Deus lhe deu - :) -, por isso quando ele resolveu estudar pra valer, um ano depois de termos ido morar juntos, eu dei o maior apoio. Era início de 2008. Já estávamos juntos há dois anos, o que ajudou muito nos momentos complicados pelos quais passamos. E foram muitos. E doloridos. E solitários. 

Só eu sei como foi difícil... quer dizer, eu e mais minhas amigas queridas e minha mãe amada, que aguentaram no osso todas as minhas queixas, as minhas lágrimas, minha deprê e meus momentos de solidão...

Aliás, acho que não há nada pior do que se sentir sozinha dentro da própria casa, tendo a pessoa que tu ama ali, tão perto, e ao mesmo tempo tão longe. Sempre digo que aquela porta do escritório fechada era como uma barreira intransponível pra mim, um muro de concreto puro. Claro que o Pita sofreu muito também, principalmente porque via minha tristeza disfarçada por um sorriso falso de 'tá tudo bem, pode ir estudar'... mas ele estava focado, queria muito aquilo e sabia que essa era a única forma de conseguir. Abdicou de conviver comigo, com nossos amigos, com a família... deixou de malhar (depois voltou, pra espairecer), deixou de ir ao cinema, de sair para jantar, de ir ao supermercado, enfim, deixou de lado a vida por um tempo. Acho que naquela época ele passava mais tempo com os cachorrinhos do que comigo. Mas só porque o Napoleão e a Penélope insistiam em subir na bancada para estudar junto dele. Era muito engraçado, super companheiros que dividiam o tempo entre ficar com ele e ficar comigo.

E assim passamos um bom tempo. O ano de 2008 chegou ao fim e o edital para o concurso que ele queria não saia de jeito nenhum. Nesse meio tempo, um  edital saiu, abrindo inscrições para um outro concurso, semelhante àquele. O Pita não queria fazer, estava determinado a esperar. Mas eu insisti tanto, enchi o saco mesmo e ele resolveu se inscrever. Eu sabia que seria mais uma etapa difícil, afinal agora existia um marco final, a data da prova. Porém eu o conhecia bastante, sabia que ele precisava estar motivado para seguir adiante com a mesma garra e determinação. E assim aconteceu... no dia 1º de fevereiro de 2009 ele fez a prova da primeira fase. Meu irmão se formou um dia antes, em Balneário Camboriu. Fui sozinha na formatura...

Quando o gabarito saiu eu tinha certeza que ele tinha conseguido. Mas comemoramos só quando saiu o primeiro resultado, no dia 02 de março. Ao ver o nome dele na lista, chorei de orgulho. Com esse novo gás, encaramos a segunda fase. Ele estudando ainda mais, eu tentando fazer o meu papel de boa companheira, segurando as barras sempre que necessário porque nunca deixei de acreditar, não só nele mas, acima de tudo, na nossa relação. Chorando no ombro das amigas também, é verdade...

Já estávamos noivos desde 2007 e, diante de tanta coisa acontecendo, a festa de casamento era apenas um sonho distante. Que se tornou um pouco mais próximo quando, na semana da Páscoa, o Pita chegou com flores, um anel e um pedido formal (feito no elevador da Justiça Federal): "vamos marcar a data?". Foi um momento maravilhoso e, apesar do meu receio inicial, ajudou muito a manter minha cabeça no lugar. Digo receio porque sabia que ele estava focado em outra coisa e não queria que nosso casamento fosse só planejado por mim. A partir daí, tive muito trabalho e meu coração serenou um pouco.

Enquanto isso o concurso seguia. A segunda fase foi uma prova de fogo... um final de semana inteiro com provas de manhã e de tarde. No final do domingo, quando chegou em casa com cara de quem tinha visto váááários fantasmas, ele olhou bem pra mim e disse: "não deu". E eu apavorada: "como assim, não deu?". "Não deu, eu sei que não consegui". Eu sempre fui muito otimista, nunca fui de deixar a peteca cair... apesar de estar me rasgando por dentro falei que o melhor era aguardar o resultado, sem ficar imaginando coisas.

Olha, quem já fez concurso ou conhece alguém que fez, sabe o que vou dizer agora: o fórum do CW (correio web) é o inferno na Terra!!!!!! Sério gente, tem coisa mais viciante e horrível do que ficar acompanhando aqueles comentários? Meu Deus, cada segundo uma nova ideia, uma correção diferente da questão que tu achava que tava certa, aquelas listas de classificação... e olha que nem fui eu que fiz o concurso. Se serve meu conselho: fiquem afastados daquilo! sitezinho do mal hehehe

Após muito sofrer, o tão esperado resultado saiu, e no dia 25 de maio eu chorei novamente... lá estava o nome dele, na lista dos candidatos que iriam para a prova oral.

Agora era reta final... o nosso escritório estava repleto de 'post it' amarelos... não tinha espaço pra mais nada, os cachorrinhos não podiam bobear sob pena de virarem lembretes das matérias!

No início de julho embarcamos para Brasília e fizemos check in no melhor hotel daqui, Dytz's House, administrado por Nilo e Lu (hehe) - aliás, foi quando conheci minha cunhada querida e meus sobrinhos amados ;)

No dia da prova fui junto para dar apoio moral... tava mais apavorada que ele. Assisti algumas bancas, mas não a do Pita. Saí de lá apavorada (cada pergunta difícil...) mas ele não estava tanto. Acho que pairava no ar a sensação de missão cumprida. Agora nos restava esperar pelo resultado.

E então, um belo dia, eu estava trabalhando (mentira, tava dando F5 no site da CESPE a tarde inteira hehe) e saiu o comunicado... Mas o Pita viu antes que eu, me escreveu no pandion (nosso MSN interno): PASSEI, PASSEI, PASSEI!!!!!!!

Meu Deus, foi um dos momentos mais emocionantes da minha vida. Todo o sacrifício, todas as lágrimas, aquele sentimento de desilusão e de solidão sumiram instantaneamente! Gritei de alegria no gabinete: "gurias, o Pita passou!!!!!!" Desci correndo (ele trabalhava no 6º, eu no 8º) e entrei porta adentro na sala dele, tentando segurar as lágrimas (ineficazmente hehe), e abracei meu companheiro com todo o amor que havia no meu coração. "Conseguimos... nós conseguimos" era tudo que eu conseguia falar.

Orgulho, orgulho, orgulho, não era meu nome naquela lista, mas era como se fosse. Todas as felicitações não eram só para ele, eram para nós dois.

Naqueles dois anos de dedicação nós conseguimos fazer valer o lema do nosso relacionamento, gravado nas nossas alianças: AMOR E AMIZADE. É isso que sustenta tudo quando as dificuldades parecem mais fortes do que podemos suportar.

Então... esse post gigante pra dizer que eu sei que é difícil, que tem horas que a gente acha que não vai dar conta, que seria melhor se entregar, deixar o sonho pra lá, ir fazer outras coisas, mas é importante ter fé. HÁ UMA LUZ NO FIM DO TÚNEL... e, no meu caso, era uma luz iluminada, linda, maravilhosa e compensadora.

Força na peruca, coragem e era isso... sempre em frente porque o que é nosso realmente está guardado.

Só pra terminar, queria deixar um recadinho para meu amor: Tata querido, te amo demais e tenho muito orgulho de ti, que continua honrando nosso esforço, sendo um excelente cidadão e um profissional extremamente competente. Obrigada por confiar em mim.

As fotos que seguem são do dia em que ele tomou posse no cargo de Advogado da União...



24 comentários:

Vanessa Tanaka disse...

Morri de chorar... História LINDA a de vocês!!

Dani disse...

Dani querida, cheguei a ficar emocionada com o teu relato. Parabéns para vcs por essa conquista.
Beijão no teu coração.

Dani Dytz disse...

Obrigada Vanessa! Volte para fazer uma visita sempre que quiser :)

Ah, entrei pra espiar teu blog - Mamãe pira! - e adorei! Já tô seguindo...

Que super novidade, hein? Podemos trocar figurinhas, não sou mamãe de gêmeos mas o Theodoro nasceu faz pouco tempo...

Dani Dytz disse...

Dani amada, obrigada!!!

Beijão enorme, saudades de ti

Elize disse...

Ai, ai, o que eu posso dizer disso tudo, eu que passei por isso também... As grandes mulheres e seus grandes homens!

Dani Dytz disse...

É minha amiga Elize, o que seriam deles sem nosso apoio... E o que seria de nós sem o ombro amigo dos nossos queridos...
:)

Mari Duarte disse...

Amiga, sem comentários... era eu ali!!!! Para variar, chorei, chorei!!!! Ontem, depois da última prova, era um choro engraçado, de alívio, de cansaço, de felicidade... Não preciso dizer que tu e a tua experiência (especialmente o teu final/continuação feliz) me deram uma força gigante!!! O que posso dizer? Nenhum de nós vai muito longe sozinho, e, se eu consegui, foi muito pela força de pessoas especiais como tu!!! Te amo muito!!!

Luciane Bezerra disse...

Dani,, adorei conhecer essa história de luta e vitória. Há muito mérito nisso. Que belo romance. Inspirador. Estou adorando conhecer você e seus valores. Você é totalmente do bem. Bjo. Luciane

Anônimo disse...

Daniii...
Esse texto simplesmente define o amor e o companheirismo de vocês!
O que você escreveu descreve o que realmente é a palavra amor: se doar!
Sempre admirei demais vocês dois e você sabe disso, até pq nunca me canso de repetir: Vcs dois são lindos juntos!
É o que acho de coração!
Parabéns pelo texto e principalmente por saber dosar todo teu relacionamento!
Beijos.
Pat.

Anônimo disse...

Amor e Amizade!
Foram estas duas palavras que ficaram marcadas para mim no dia do seu casamento.
É muito legal ver a cumplicidade que existe em seu relacionamento com o Pita. Vocês são especiais e assim como a minha irmã (Dinha), eu também fico orgulhosa de ver as conquistas do casal.
bjs...
Tia Marli

Dani Dytz disse...

Queridas, obrigada pelos comentários...
Realmente foi um momento difícil mas muito muito recompensador!
Bjnhos

Anônimo disse...

Se tivesse a mulher mais linda do mundo comigo, não conseguiria estudar durante uma hora sequer. Que concurso, que nada

Morena disse...

Amiga estou passando por isso.
Sinceramente muitas vezes penso em desistir. É cansativo e temeroso.
=/

Dani Dytz disse...

Morena, não desista! Sei que é muito difícil, mas o que é a vida sem sacrifício, não é mesmo? Tenha coragem e muita fé em Deus. O que for pra ser, será!
Bjo e obrigada pela visita.

Anônimo disse...

Emocionante a história de vcs. Eu e meu esposo estamos passando por essa fase de estudos e fiquei tão animada com a história de vcs que resolvi criar um blog para usar como desabafo... http://www.esposadeconcurseiro.blogspot.com.br/

Que Jesus os abençoe sempre!

bjos da Esposa de Concurseiro

Anônimo disse...

Poxa, linda história. Desejo ver meu namorado aprovado na PF, é o que ele mais deseja. Mas estou muito angustiada porque a gente quase não se fala mais, ele não responde mais minhas mensagens, nao liga pra mim... Em fim, pra mim isso é novo, diferente. Parece que ele nao tem mais interesse em mim, mas quando estamos juntos ele continua o mesmo. Eu nao entendo... Já pensei em tantas coisas. A prova já foi autorizada e essa situação só esta piorando... :'(

Suzana disse...

Poxa, gostei de mais da história de vocês. Minha situação é o contrário, eu sou a esposa concurseira. E é muito difícil abrir mão dos momentos com a família, essa é minha maior dificuldade...porque me vejo querendo ser tudo ao mesmo tempo, e me sinto infeliz ao perceber que no fim não estou dando conta. Não estou sendo boa esposa, não estudo como deveria, não consigo me dedicar ao meu trabalho direito. Meu esposo me apoia, MAS da boca pra fora é bem mais simples. O que sinto é as pessoas querem os resultados, mas participar da luta não é fácil. Acho que homens tem o dom de conseguir focar de maneira que pra nós é um sacrifício.

Anônimo disse...

Que linda história! parabéns aos dois, grandes exemplos. História motivadora. Eu namoro um concurseiro e mesmo esse universo sendo muito novo para mim o compreendo muito e não poderia ter um namorado melhor! mesmo com todos os empecilhos ele sempre faz questão de me lembrar de como a minha participação nisso tudo é importante e eu pretendo estar sempre com ele na luta e nos sacrifícios pois ele é um homem admirável e extremamente persistente!!

Anônimo disse...

Pleno 2016 e me emociono com esse texto e paro pra refletir tanto sobre esse momento que estou vivendo hoje. Chorei mto hj pensando se consigo, medindo minhas forças e ponderando tanto se vale mesmo a pena. Não sei se vou chegar até o fim, mas esse texto me deu forças hj pra continuar mais um pouco. 🙏

Anônimo disse...

Chorei tanto. Estou aos prantos tbm, me sentindo sozinha.

janaina matsugawa disse...

Nossa... eu estou passando por isso me motivou... só ñ sei como...

Jujuty disse...

Oi Dani, linda sua história me emocionei. Hoje vivo uma situação bem parecida mas estou longe da família, amigos e grávida,deixei tudo para trás
e vim morar no interior só pra ele ficar perto do trabalho e ter mas tempo pra estudar solidão master, brabeira, o que tem me sustentado é Jesus, tento preencher minha cabeça com as coisas da igreja, de casa mas tem hora que é brabo! Já se foram três anos mas o tão sonhado concurso ainda não veio, dá um conselho aí 😢.

Jujuty disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Dani Dytz disse...

Jujuty

Olha, agora grávida o mais importante é tu pensar em ti e no teu bebê (ouça a agora mãe de dois aqui!).

Com a chegada do teu bebê certamente teu foco irá mudar, tu poderá te dedicar à maternidade e perceber o quanto somos muito mais poderosas do que imaginamos. Mantenha teu foco em ti e no teu bebê agora, tenta deixar em segundo plano o concurso. Não é fácil, mas pensa, um dia ele irá conseguir passar se estiver nos planos de Deus... mas essa gravidez é única, pode ser que tu tenhas mais 5 filhos, sei lá, mas jamais estará grávida desse filho de novo. Meu conselho: foca em ti, no teu bem estar, no bem estar do teu bebê que, em breve, haverá uma mudança estrutural na tua família e tu verás que nem sempre o caminho que a gente acha que seria o melhor é o caminho que Deus nos reserva. Tempo ao tempo e fé.

Tu tem facebook? Me adiciona se quiser conversar, pode me procurar lá Daniela Casagrande Dytz.

Um beijo